Volta às aulas: Manual das Cantinas Escolares traz recomendações sobre lanches saudáveis

de 

Foto: Ocean / Corbis
Com a retomada do ano letivo, mães e pais voltam a se preocupar com o que colocar na lancheira das crianças. Para a Coordenação de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, a seleção deve agradar as crianças, mas precisa ter valor nutritivo, e não trazer calorias em excesso. Na prática, a lancheira ideal deve conter água ou sucos naturais ao invés de refrigerantes e bebidas açucaradas, como sucos de caixinha. Além disso, o ideal é trocar os biscoitos e salgadinhos por frutas.
A professora Rosana Furlan se preocupa com os alimentos colocados na lancheira do seu filho Pedro, de três anos e meio. Ela conta que o objetivo é variar e incentivar que Pedro não desenvolva maus hábitos alimentares. “Eu coloco água para que ele possa se hidratar, suco eu não coloco, não coloco refrigerante porque não consumimos com muita frequência, biscoito de água e sal, sempre um potinho com frutinhas picadas, ou pêssego, ou morango, ou ameixa, melão que ele gosta muito, uva, mas nada muito doce nem muito calórico. É a minha intenção que ele aprenda a comer de tudo que seja saudável mais para que ele não se torne uma criança com maus hábitos alimentares”, comenta.
A coordenadora Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Patrícia Jaime, destaca quais alimentos devem conter nas lancheiras das crianças e ressalta a importância de ficar atento à quantidade de comida colocada na lancheira. “Ter na lancheira frutas. Frutas são alimentos que precisam ser incentivados em relação ao consumo das crianças. E de preferência, para garantir um bom aporte energético que é fundamental para a concentração da criança, uma fonte de carboidrato: um cereal, pão, pedaço de bolo, pão de queijo para que a criança tenha uma diversidade de vitaminas, minerais e calorias no dia-a-dia. Lembrando que não é preciso alto volume, e que hoje o que nós temos é o excesso do consumo alimentar, e não a carência. E que a criança precisa de uma pequena refeição que vai fazer o equilíbrio entre o café da manhã e o almoço, ou entre o almoço e o jantar”, explica Patrícia Jaime.
Por meio da Política Nacional de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, foi lançado no ano passado o Manual das Cantinas Escolares Saudáveis: promovendo a alimentação saudável. O documento foi criado a partir de um acordo feito entre o Ministério da Saúde e a Federação Nacional das Escolas Particulares para incentivar os colégios a oferecerem às crianças alimentos com menos sódio, açúcar e gordura.
Fonte: Amanda Mendes / Web Rádio Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares